terça-feira, 16 de setembro de 2008

Entrevista - Evasão em EAD por Onília Cristina

Onília Cristina, da UCB, falou sobre evasão em EAD a Anderson Wilkner, na Web Rádio ABED. A palestra de Onília foi bastante polêmica e veja os pontos principais aqui.

2 comentários:

Maristela disse...

Parabéns pela iniciativa, porém não entendi porque a entrevista foi polêmica. Ela foi sim lúcida e transparente, falou o que temos realmente acontece em termos de evasão. Claramente foi colocada a participação do tutor, principal elo responsável pela ligação do aluno ao ensino-aprendizagem. Se o o tutor não funciona, o aluno não funciona e a aprendizagem não acontece.
O maior problema da regulamentação de educação a distância é que, embora a Lei de Diretrizes e Bases seja ampla nas garantias para sua oferta em todos os níveis, os atos posteriores, realizados através de Decretos, Portarias e Resoluções são oscilantes. Ora liberam, ora restringem. Toma-se como exemplo o decreto 5.622/2005 , que é amplamente favorável à expansão e, novamente, a Portaria 02/2007, editada pelo Ministério da Educação, a qual ele concorda ser restritiva no aspecto da criação dos pólos.
Isto sim é polêmico e acontece constantemente na EaD, talvez para precaver os abusos, a falta de seriedade, etc. Mas é papel do MEC acompanhar e avaliar, não criar mecanismos e obtáculos para coibir a expansão da EaD.
Abraços a equipe,
Maristela Dantas

Maristela disse...

Parabéns pela iniciativa, porém não entendi porque a entrevista foi polêmica. Ela foi sim lúcida e transparente, falou o que temos realmente acontece em termos de evasão. Claramente foi colocada a participação do tutor, principal elo responsável pela ligação do aluno ao ensino-aprendizagem. Se o o tutor não funciona, o aluno não funciona e a aprendizagem não acontece.
O maior problema da regulamentação de educação a distância é que, embora a Lei de Diretrizes e Bases seja ampla nas garantias para sua oferta em todos os níveis, os atos posteriores, realizados através de Decretos, Portarias e Resoluções são oscilantes. Ora liberam, ora restringem. Toma-se como exemplo o decreto 5.622/2005 , que é amplamente favorável à expansão e, novamente, a Portaria 02/2007, editada pelo Ministério da Educação, a qual ele concorda ser restritiva no aspecto da criação dos pólos.
Isto sim é polêmico e acontece constantemente na EaD, talvez para precaver os abusos, a falta de seriedade, etc. Mas é papel do MEC acompanhar e avaliar, não criar mecanismos e obtáculos para coibir a expansão da EaD.
Abraços a equipe,
Maristela Dantas